Carnes sobem com menos intensidade

Carnes sobem com menos intensidade e provocam queda no ritmo de inflação semanal

Resultado do IPC-S aponta recuo no ritmo do grupo alimentação, que caiu para 1,36%

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), medido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), atingiu 0,93%, na terceira prévia de janeiro. O resultado aponta queda de 0,04%, se comparado ao anterior, que foi de 0,97%.

Essa queda foi influenciada, principalmente, pelo recuo no ritmo de aumento no grupo alimentação, que de 1,76% caiu para 1,36%, com destaque para as carnes que foram reajustadas, na média, em 0,29%, índice bem abaixo da taxa anterior, de 2,08%.

Em despesas diversas, o IPC-S saltou de 0,2% para 0,3% com destaque para a correção de preço da ração animal (de 0,76% para 1,72%). Os itens que mais ajudaram a causar impacto inflacionário foram: tomate, curso de ensino superior, tarifa de ônibus urbano, curso de ensino fundamental e médio.

Fonte: Revista Globo Rural On Line