Começa amanhã a etapa Campo Grande do Circuito Feicorte NFT 2013

A busca pela carne de alta qualidade será um dos temas abordados, dentre outros em busca de mais eficiência na produção e comercialização

Falta uma semana para o início da etapa de Campo Grande do Circuito Feicorte NFT 2013, evento que vem percorrendo as principais capitais pecuárias do Brasil, levando informação, conhecimento, tecnologias e oportunidades de negócios. A etapa Campo Grande será nos dias 30 e 31 de julho, no Centro de Exposições Albano Franco, com workshops que discutirão a eficiência na produção e na comercialização da carne, e uma feira de negócios com quase 30 empresas de referência no setor.

A abertura do evento será na segunda-feira, dia 29 de julho, às 20, na HStore Beckhauser, localizada à Rua 14 de Julho, 460. No dia seguinte, a programação tem início às 10h e o workshop inclui palestras com renomados especialistas brasileiros que tratarão da busca por maior eficiência através da visão de mercado, influência do clima, sanidade, nutrição, bem-estar animal, genética, visão da indústria e do restaurante sobre carne de qualidade, importância da informação para a gestão e pastagens.

A etapa de Campo Grande terá algumas novidades, como a palestra de Danilo Grandini, Diretor Unidade de Negócios – Bovinos da Phibro Animal Health “Custo da desinformação tecnológica: foco recria e engorda”. “A ideia é reforçar o conceito de que a pecuária tem que incorporar processo de ganho de eficiência passando pelo uso de tecnologia. A novidade da abordagem está em confrontar o beneficio da eficiência e o não uso de tecnologia pelo prisma do valor de venda do animal. Ou seja, qual deveria ser o preço de venda para ‘anular’ a busca pela eficiência. Desta forma, fugimos do tradicional ‘o que ganho ao usar tecnologia’ para o que perco ao não usá-la”, afirma Grandini.

Outra palestra que está despertando grande interesse é do professor da Unicamp, Pedro Eduardo de Felício sobre carne de alta qualidade. “O objetivo é apresentar o conceito desse produto especial no atendimento de mercados que remuneram de maneira bastante diferenciada os cortes da região dorso-lombar e pélvica da carcaça bovina. Exemplos desses mercados são os povos mais exigentes quanto à maciez, o sabor e a suculência da carne, como japoneses e coreanos do sul, atendidos pelos Estados Unidos e Austrália. A esses mercados do exterior podemos adicionar o mercado de restaurantes de alto padrão existentes no nosso país.

Para eles, a carne deve ser produzida por gado das raças britânicas, em alguns casos raça japonesa, machos castrados e fêmeas em pastagens até um ano e meio, dois no máximo, e engordado em 100 – 120 dias de confinamento. Deve ainda ter ‘marbling’ (gordura intramuscular ou mármore) igual ou superior a 7% de lipídios na porção muscular do contrafilé”, detalha o professor, que completa: “Entretanto, não é essa a carne que produzimos no Brasil, exceto por alguns casos muito extraordinários de empresas que adquirem os bovinos jovens no Rio Grande Sul para engorda em São Paulo e com ela atendem os restaurantes mais exigentes da capital deste e de outros estados. Apresentarei então o que tem sido feito no país, mais que tudo no Mato Grosso do Sul, para produzir uma carne que mesmo não se encaixando no conceito de Alta Qualidade, em mais algum tempo chegue a oferecer garantia de boa qualidade organolética, ou em termos mais simples, qualidade ‘de mesa’ para restaurantes e consumidores exigentes”, adianta. “Ninguém sairá da palestra sabendo como ganhar mais dinheiro com pecuária, mas sairá com uma cultura melhorada nessa área do conhecimento, que permitirá aos mais dedicados continuarem atentos às novidades do setor, quem sabe até saindo à frente dos demais produtores na hora de somar esforços com a indústria para a conquista de novos mercados que demandem qualidade assegurada”, convida o palestrante.

Dando sequência ao tema, o presidente da Associação de Criadores de Novilho Precoce do MS, Alexandre Scaff Raffi fecha a programação do evento com a palestra “A carne é de qualidade, e agora?”.

Estamos levando aos produtores que participarem do Circuito Feicorte em Campo Grande palestras de alto nível, que permitirão refletir sobre a atividade e incorporar conceitos e práticas que tornem a pecuária cada vez mais eficiente e rentável. Além das palestras, os participantes terão contatos com empresas que possuem o que de mais moderno existe em tecnologia, produtos e serviços para que se atinja os objetivos propostos na atividade”, afirma a gerente do Agrocentro, Carla Tuccilio, promotora do Circuito Feicorte NFT.

Para participar do workshop do Circuito Feicorte NFT, a inscrição custa R$ 200,00 (inteira) e R$ 100 (meia). Para visitar a feira a entrada é gratuita. As inscrições podem ser feitas pelo site www.agrocentro.com.br/circuitofeicorte

Patrocinadores

A etapa de Campo Grande do Circuito Feicorte NFT 2013 tem o patrocínio Master da Nutron, Marfrig Group, MSD Saúde Animal, Banco Original e Dow AgroSciences. Os patrocinadores Gold são: Minerva Foods, Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), Vétoquinol-FAGRA, Ouro Fino, Bellman, ArystaLifeSciense, Associação Brasileira de Angus, Novanis e MUB Brasil. Os patrocinadores Silver são ABS Pecplan, Philbro, Rocha Irrigações, CRV Lagoa, Beckhauser, Casale, Alltech, BimedaMogivet, Macal, CRI Genética, BML, Real H e S+ Senepol.

Sobre o Circuito Feicorte NFT

O Circuito Feicorte NFT é uma iniciativa do Agrocentro (que promove a Feicorte em São Paulo há 19 anos) e a Nutrition for Tomorrow Alliance (aliança de marketing cooperativado formada por empresas da cadeia de proteína animal).

O Circuito Feicorte NFT 2013 passou por Cuiabá (MT) em março, com 1.500 participantes, Palmas (TO) em maio com 1.170 pessoas e, após Campo Grande, segue para Ji-Paraná (RO) nos dias 3 e 4 de outubro e Paragominas (PA) em 7 e 8 de novembro.

Na primeira edição do Circuito Feicorte NFT em 2012 foram promovidas quatro etapas regionais (MT, BA, GO e MS), com a participação de 4 mil pessoas, representando mais de 17 milhões de cabeças de gado.

Fonte: Attuale Comunicação