Comercialização de genética angus cresce 33% em 2011

Venda de sêmen manteve expressivo crescimento e raça já é a preferida dos pecuaristas em alguns segmentos

A raça angus comercializou 2,384 milhões de doses de sêmen em 2011, resultado 33% superior às vendas realizadas em 2010, de 1,793 milhões de doses, alcançando a fatia de mais de 86% de mercado, e a segunda colocação entre todas as raças de corte, além da liderança entre as raças taurinas de corte de origem europeia. Os dados são da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia).

“O angus é a raça preferida dos pecuaristas que focam o seu trabalho na fertilidade, precocidade sexual e de terminação, musculosidade e rápido ganho de peso”, informa Paulo de Castro Marques, presidente da Associação Brasileira de Angus (ABA).

Marques reforça que nenhuma outra raça bovina de corte teve este desempenho, tanto na raça pura como no cruzamento industrial, o que contribui para multiplicar a oferta de carne de padrão superior. “Atualmente, trabalhamos com a marca de que quatro em cada cinco bezerros nascidos de cruzamento industrial trazem genética angus”, ressalta o dirigente.

Por conta do crescente aumento da demanda de sêmen angus, a raça já representa quase 34% de todo o sêmen de raças de corte comercializado no Brasil, o equivalente a 7 milhões.

Analisando os números divulgados pela Asbia, Felipe Moura, diretor de marketing da ABA, percebe que o crescimento é constante e vertical. “O documento prova que quem usou sangue angus se consolidou no uso e não troca”, completa.

Fonte: Revista Globo Rural