Cuiabá sediará a Bienal da Agricultura em agosto

A Bienal dos Negócios da Agricultura Brasil Central será nos dias 8 e 9 de agosto, em Cuiabá. Esta será a segunda edição do evento realizado pelas Federações de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Mato Grosso do Sul (Famasul), Goiás (Faeg) e Distrito Federal (Fape-DF). Antes da união das entidades do Centro-Oeste brasileiro, a Bienal era promovida apenas em Mato Grosso. Após fazer uma parada em Goiânia-GO, em 2011, neste ano o encontro retorna para sua casa de origem, Cuiabá-MT.

“A união entre as Federações dos estados que fazem parte do Centro-Oeste foi o primeiro passo que demos rumo ao fortalecimento da região. Juntos, esses Estados produtores ficam ainda mais fortes para planejar o futuro e cobrar empenho das autoridades públicas para sanar os desafios do Brasil Central”, explica o presidente da Famato e coordenador geral do evento, Rui Prado.

Nesta semana, os representantes executivos das Federações de Mato Grosso, Seneri Paludo, Goiás, Claudinei Rigonatto, e Mato Grosso do Sul, Rogério Beretta, fizeram uma rodada de visitas estratégicas em empresas de São Paulo para apresentar o projeto desta edição.

Para 2013, os temas em destaque serão logística, mão de obra, novas tecnologias e cobrança de royalties, política agrícola e sucessão familiar. “A Bienal dos Negócios da Agricultura Brasil Central foi pensada para ser um evento de vanguarda e formar a opinião dos produtores rurais sobre questões estratégicas para o futuro do AGRO. Da primeira edição regional, que ocorreu há dois anos, surgiu o Fórum Centro-Oeste Competitivo, um encontro que acontece regularmente e ajuda a fomentar novos projetos e decisões políticas e econômicas em toda a cadeia produtiva da região. Desejamos repetir este feito e continuar gerando frutos após a realização do evento”, explica o diretor executivo da Famato, Seneri Paludo.

Programação – Haverá um painel exclusivo para tratar sobre os royalties e os modelos de cobrança das futuras tecnologias. Em seguida será discutido como enfrentar o apagão de mão de obra e os desafios para atrair mais trabalhadores e melhor qualificados. “Outro tema que nos preocupa bastante e merece total atenção é a sucessão familiar. Queremos discutir o futuro desses novos agricultores que irão assumir os negócios da família. É uma nova geração que está entrando para assumir o agronegócio”, acrescenta presidente da Famasul, Eduardo Riedel, que será o mediador nesse debate.

O evento é destinado a produtores rurais, pesquisadores, técnicos e extensionistas, fornecedores e distribuidores das cadeias produtivas do agronegócio, lideranças de entidades governamentais e não governamentais.

Além das palestras com especialistas renomados, haverá uma programação paralela com workshop sobre Jornalismo Agropecuário, reuniões das Câmaras Setoriais do Mapa (soja, algodão e insumos), reunião das Comissões Nacionais de Trabalho e Previdência da CNA, Fórum dos Secretários Estaduais de Agricultura, Fórum Empresarial do Centro-Oeste, entre outros.

Fonte: Assessoria Bienal da Agricultura 2013