Datagro reduz previsão de produção de açúcar do centro-sul

A produção de açúcar do centro-sul do Brasil em 2011/12 foi estimada em 31,85 milhões de toneladas, abaixo das 33,7 milhões projetadas anteriormente, informou nesta terça-feira a consultoria Datagro, acrescentando que a situação pode piorar ainda mais após recente geada.

Uma série de reduções nas projeções da produção do Brasil, maior produtor e exportador global de açúcar, ajudou a elevar a commodity para máximas na bolsa de Nova York no mês passado. A previsão da Datagro é uma das mais pessimistas e sugere que as condições podem ter se deteriorado.

A queda na produção de açúcar em relação à previsão de junho ocorre em função de uma redução na moagem de cana projetada pela consultoria, que agora prevê 517,4 milhões de toneladas, contra 536 milhões anteriormente.

O centro-sul do Brasil responde por cerca de 90 por cento da produção de cana do país.

“A previsão está piorando muito. Os números refletem a geada de junho, mas a geada da semana passada pode reduzir ainda mais a previsão. A tendência é para revisões para baixo no futuro”, afirmou o presidente da Datagro, Plinio Nastari, a jornalistas.

A ocorrência da geada em junho reduziu a produtividade da cana. O impacto do problema climático da semana passada não foi quantificado na atual previsão, segundo Nastari.

As usinas agora planejam acelerar a colheita, antes que a quantidade de açúcar na cana caia com o florescimento das lavouras decorrentes da geada.

A Datagro está mais pessimista do que a Unica para a safra de cana. A entidade da indústria do centro-sul prevê uma moagem de 533,5 milhões de toneladas.

A consultoria também informou que as exportações de açúcar do centro-sul devem ficar em 22,35 milhões de toneladas, abaixo das 24,22 milhões de toneladas estimadas em junho.

O Brasil está no pico da colheita de cana do centro-sul. Outros analistas também têm reduzido a previsão de produção de cana devido ao tempo desfavorável e a uma queda na produtividade dos canaviais, em função do envelhecimento das lavouras.

O analista também estimou importações de 1,49 bilhão de litros de etanol na temporada 2011/12, em meio à queda na produção de cana, com o objetivo de atender ao crescente mercado de combustíveis do país.

A previsão da Datagro aponta para uma importação de etanol bem maior do que a esperada pela Unica.

Autor: Reuters