Dourados deve colher 520 mil toneladas de soja

O município de Dourados prevê aumento na lavoura de soja, safra 2011/2012, que começa a ser semeada no dia 1º de outubro. Os técnicos prevêem quatro mil hectares a mais em relação a safra passada: de 136 mil passa para 140 mil hectares. No entanto, os analistas estão apostando mesmo é no aumento da produtividade. Nesta safra é esperado colher 3.780 quilos por hectares – 63 saca/ha – que deve resultar num total de mais de 529,2 mil toneladas. Na safra passada foram colhidas 448,8 mil toneladas numa produção esperada de 3.300 quilos por hectare.

Os dados da safra 2011/2012 da soja foram colhidos durante reunião da Comissão Regional de Estatística Agropecuária (Corea) realizada na manhã de ontem no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a chefe do IBGE de Dourados, Geisi do Amaral Carvalho, os técnicos estimaram um aumento na área plantada levando em consideração que muitos produtores podem aproveitar partes das pastagens para soja. O que vem estimulando os produtores é a expectativa de preço que será pago pela saca, que pode chegar a R$ 44,00. Este ano o custo médio de produção, estimado pela Embrapa Agropecuária Oeste, é de R$ 27,56 pela saca de 60 quilos.

Pela pesquisa, o fertilizante apresentou o maior impacto, correspondendo a 25,1% do custo total. A semente representou 8,4%, os fungicidas participaram com 5% e os herbicidas com 5,4%. Esses dados estão contidos no “Comunicado Técnico” sobre a Viabilidade Econômica da Cultura da Soja na Safra 2011/2012 em Mato Grosso do Sul, divulgado no site www. cpao.embrapa.br

Segundo o presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos (Aeagran), Bruno Tomazzini, a maioria dos produtores estão com áreas já dissecadas para iniciar a semeadura da soja. Nesta safra o período recomendado para plantio foi adiantado em 21 dias. Muitos produtores querem aproveitar para plantar no inicio de outubro para liberar a área no período recomendado a fim de fazer o plantio do milho. A expectativa para o preço da saca do milho safrinha para o próximo ano também são as das melhores, segundo Bruno Tomazini.

No entanto o engenheiro agrônomo recomenda que os produtores tenham cautela, optando para plantar de forma escalonada, não apostando toda a produção numa época só. “A recomendação é para que os produtores não venham ter surpresas em função de alterações climáticas”, observa.

MILHO

O IBGE divulgou ontem o balanço geral da cultura do milho safrinha colhida em Dourados. No total o município colheu 270 mil toneladas, segundo avaliação dos técnicos. A produção estimada logo após as perdas na cultura por causa das geadas, foi de 3.375 quilos por hectare numa área de 80 mil hectares. A área plantada foi de 90 mil hectares. As perdas representaram 15 mil hectares no município.

Fonte: Dourados Agora