Governo Federal licita este ano projeto da obra da rodovia da Rota Bioceânica em Porto Murtinho

Governo Federal licita este ano projeto da obra da rodovia da Rota Bioceânica em Porto Murtinho

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, vai priorizar a construção do trecho de 12 quilômetros de ligação entre a BR-267 e a ponte sobre o Rio Paraguai, entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta (Paraguai), essencial para viabilizar a Rota Bioceânica, que vai ligar Mato Grosso do Sul aos portos do Oceano Pacífico. Para tanto, esse ano será realizada a licitação para contratar a empresa que vai elaborar o projeto, com previsão de entrega até o meio do ano que vem. A informação foi dada ao governador Reinaldo Azambuja, durante audiência nesta quinta-feira (7).

No encontro, o ministro afirmou que as Rotas Bioceânicas (ferroviária e rodoviária) passando por Mato Grosso do Sul são as duas melhores rotas ligando o Brasil aos portos no Oceânico Pacífico, e que o resto é utopia. “Tanto a ferroviária quanto a rodoviária são importantíssimas para a competitividade do nosso Estado”, enfatizou Azambuja após a reunião.

O governador Reinaldo Azambuja, que esteve reunido nesta quinta-feira (7) com o ministro, ressaltou que “ficamos muito contentes com o posicionamento do ministro da Infraestrutura. Ele disse que falou para o presidente da República sobre a Rota. Trabalhamos tanto para viabilizar esta rota, que ela está se viabilizando com a infraestrutura, com investimentos. O ministro anunciou o projeto executivo do trecho de acesso a BR-267 até a ponte ligando Porto Murtinho a Carmelo Peralta”, emendando que “demos um passo muito grande. “Ouvi do ministro, quem estava na reunião também ouviu após eu perguntar: Qual a visão que o senhor tem das Rotas Bioceânica ferroviária e rodoviária. Ele foi claramente textual: são as duas melhores rotas a serem concebidas pelo Brasil. Não adianta sonhar, ter utopia, nós temos que incentivar o andamento”.

O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, que participou da reunião, explicou que o Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) está concedendo o licenciamento para as obras da rodovia de acesso à ponte, que tem custo estimado em R$ 120 milhões. “O Ministro disse que esta licitando o projeto desta obra, tem verba para licitação do projeto e até meados do ano que vem teremos pronto um projeto de acesso à ponte. É uma questão fundamental, não existe Rota Bioceânica sem o acesso a ponte”, enfatizou o secretário.

Sobre a Rota Bioceânica Ferroviária, Verruck explicou que o Governo está trabalhando para antecipar a concessão. “Temos o investidor, temos a demanda levantada, temos o projeto, mas precisamos antecipar a concessão, ninguém vai investir em uma ferrovia que tem 7 anos de concessão licitada”, afirmou o secretário, detalhando que a antecipação da concessão da Malha Oeste depende do processo de licitação da Malha Paulista, que está em andamento. “Enquanto não resolver a Malha Paulista, não vai andar a Malha Oeste, ela é um paradigma”, afirmou Verruck.

Recomposição de recursos

Após reunião com o ministro da Infraestrutura, o governador foi até a casa Civil da Presidência da República falar com Assessor Especial Leandro Barbosa de Lima, sobre cortes de R$ 94 milhões em investimentos federais no Estado, que afetariam a UFMS, IFMS, o Aeroporto de Dourados e manutenção de rodovias, entre outras obras importantes. “O ministro fez o compromisso com Mato Grosso do Sul de recompor esse valor. Viemos para a Casa Civil  tratar sobre isso, já que  vai haver reunião do grupo orçamentário do Governo Federal. Eu tenho certeza que o ministro Onyx Lorenzoni vai cumprir sua palavra”, disse Azambuja.

O governador obteve especificamente o compromisso da recomposição financeira de R$ 70 milhões para manutenção da BR-419. “Tratamos de questões importantes, como a liberação da licença para operação do porto de Porto Murtinho e a recuperação da BR-267, que dá acesso a Porto Murtinho”, destacou Azambuja.

De acordo com Jaime Verruck, a BR-419 “ajuda na Rota Bioceânica, a rodovia diminui a distância entre Rio Verde e Porto Murtinho em mais de 100 km. Essa obra já está prevista, será um novo trecho, de Aquidauana para frente na BR-419”.

Texto: Subsecretaria de Comunicação (Subcom), com informações de Brasília

Fotos: Edson Leal

Publicado por: Marcelo Armôa, Assessoria de Comunicação da Semagro