Jardim e suas belezas naturais

A reportagem do Campo Grande News mostra a riqueza do Prata e as outras belezas que Jardim reserva

A cerca de 2h30 (270 km) de Campo Grande, as águas cristalinas do Rio da Prata revelam toda a riqueza e beleza do município de Jardim. O paraíso atrai durante todo o ano uma média de 100 pessoas por dia, que vem de todas as partes do mundo para conhecer as maravilhas de Mato Grosso do Sul.

Em uma rápida parada no local, a reportagem do Campo Grande News mostra um pouco de toda essa riqueza sul-mato-grossense, que fica no Recanto do Rio da Prata, com acesso pela BR 267 Km 515.

O passeio está entre a “rota” dos turistas que vem ao Estado usufruir do verde e da fauna ainda preservados, que tem como chamariz internacional a cidade vizinha de Bonito – a cerca de 55 km do local.

A descoberta da “Prata” começa com uma caminhada em meio a trilha na mata, que leva 50 minutos. Ao longo do passeio, o turista recarrega as energias observando cada uma das 37 espécies de mamíferos, fora as aves, que podem resolver “dar o ar da graça” em um galho logo ao lado.

Entre os companheiros de trilha estão o macaco-prego, bugio, cotia, queixada, cateto, quati, além de gaviões, outras aves e árvores centenárias.

O refresco nas águas cristalinas começa pela nascente do Rio Olho D’água. São 2.400 mil metros descendo pelo rio, apenas flutuando, até chegar ao encontro do afluente com o Rio da Prata.

O turista não pode encostar o pé no solo, para proteger a vegetação e espécies do rio. A flutuação é feita por grupos de até 9 pessoas, que recebem todo o equipamento necessário.

Antes de iniciar a descida pelo rio, os turistas recebem todas as orientações e uma prévia do que podem encontrar ao longo do passeio.

Tem sucuri?”. “Não tem perigo?”. “Ai, que delícia de água”. Essas são algumas das perguntas feitas pelos visitantes enquanto se preparam para ver de perto jacarés, pacus, sucuris e outros. Tudo é esclarecido pelo guia de turismo.

O guia Marcelo dos Santos lembra que os turistas é que são os “estranhos” em meio ao passeio, já que os animais e toda a vegetação estão em casa. O respeito dos visitantes e as orientações do guia garantem a harmonia e um delicioso passeio turístico.

Os últimos 600 metros de descida pelo rio podem ser feitos a barco, caso o turista esteja cansado. Ao todo, o passeio tem duração de 4 horas.

Para fazer todo o passeio, o turista compra um pacote que varia entre o valor de R$ 103 (baixa temporada) e R$ 120 (alta temporada – férias escolares e feriados prolongados). Todos os equipamentos utilizados estão inclusos no valor.

Ao retornar a sede do Recanto Rio da Prata, o turista pode almoçar comida típica por R$ 22 (self-service).

Mais passeios – A maioria dos turistas que vão até Jardim fazer o passeio do Rio da Prata também aproveita para conhecer os outros pontos turísticos do município. Ainda no Recanto, o visitante pode fazer uma cavalgada de 1h30 ou conhecer um dos lugares mais mágicos da região: a Lagoa Misteriosa.

A Lagoa foi reaberta em julho deste ano para visitação, após ficar fechada por cerca de 5 anos, devido a problemas com licença ambiental e troca de proprietário.

Mas o paraíso só recebeu visitantes por 2 meses e voltou a ser fechada para visitação em outubro, período em que suas águas deixam de ser cristalinas e ficam verdes. O fenômeno acontece no verão, durante as chuvas, devido ao processo natural das algas.

A Lagoa é considerada a sétima caverna mais profunda do país pela Sociedade Brasileira de Espeleologia e uma das mais profundas cavernas inundadas do Brasil, atingindo mais de 220 metros de coluna d’água (Registro de Gilberto Menezes de Oliveira em 1998).

O visitante pode fazer trilha com flutuação e existe a modalidade de mergulho com cilindro – até 8 metros para não profissionais, e o mergulho técnico para pessoas com curso.

Outro lugar único, é o Buraco das Araras, que fica localizado do outro da rodovia 267, em frente a entrada do Recanto. O turista percorre uma trilha de 900 metros em meio à paisagem do cerrado e contempla o local em dois mirantes, instalados na beira do abismo, onde duas lunetas fixas estão disponíveis.

Além da maravilhosa vista, é possível observar o vôo das araras e das outras aves que habitam o local, como curicacas, carcarás, urubus, pássaros-pretos, gralhas, papagaios e outros. O tempo médio de duração da atividade é de 40 minutos e o valor é de R$ 32 para adultos e R$ 25 para crianças de 7 a 10 anos – até 6 anos não paga.

Serviço – Para fazer qualquer um dos passeios é necessário agendar com antecedência e comprar o pacote em uma agência de turismo. Mais informações sobre como conhecer os locais do Recanto no site: http://www.gruporiodaprata.com.br e sobre o Buraco das Araras no site: http://www.buracodasararas.tur.br.

Fonte: Campo Grande News

Início da flutuação, na nascente Olho D'água, afluente do Rio da Prata.

Macaco-prego é um dos companheiros de passeio.
Aves são vistas durante a trilha
Gavião aparece em meio a paisagem.
Gavião aparece em meio a paisagem.
Imagem do interior da Lagoa
Início da flutuação, na nascente Olho D'água, afluente do Rio da Prata