Para Maggi, Carne Fraca de 2017 foi um ‘terror’ e, em 2018, está mais leve

Para Maggi, Carne Fraca de 2017 foi um ‘terror’ e, em 2018, está mais leve

Blairo Maggi, ministro da Agricultura (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
 

Maggi avaliou que as reações internacionais, que por vezes dificultam o acesso de produtos brasileiros a determinados mercados, são normais

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, repetiu nesta segunda-feira (12/3) que o governo passou com mais tranquilidade pela terceira fase da Operação Carne Fraca da Polícia Federal, na semana passada, em comparação com o ano passado, quando as investigações chegaram a paralisar as exportações para diversos países. “Outros países querem se aproveitar das nossas falhas. A Carne Fraca do ano passado foi um terror; este ano está mais leve. Nos antecipamos dessa vez e enviamos informações a todos os nossos parceiros comerciais”, voltou a dizer o ministro, no evento Gazeta Agro.

Maggi avaliou que as reações internacionais, que por vezes dificultam o acesso de produtos brasileiros a determinados mercados, são normais. Segundo ele, o trabalho do governo é buscar alternativas para a inserção desses produtos e trabalhar pela abertura de mais mercados.

“Não temos medo de competir com ninguém no mundo, não perdemos para ninguém em competitividade e preço. Mas reações de mercado são normais e temos de entender. Se a China aceitar todos os produtos brasileiros, quebra o pequeno produtor chinês. Temos de procurar alternativas, porque não há como vendermos tudo que queremos”, concluiu

Fonte: Estadão Conteúdo