Preços do boi gordo caem pressionados por menor demanda

Preços do boi gordo caem pressionados por menor demanda

Foto: Lenito Abreu/Governo do Tocantins

Os frigoríficos seguem usando o argumento de demanda enfraquecida, tanto interna quanto externa, para justificar a pressão

Por Agência Safras

O mercado físico do boi gordo segue em viés de baixa. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos seguem usando o argumento de demanda enfraquecida, tanto interna quanto externa, para justificar a pressão.

“O movimento de queda ganhou muita consistência nessa semana e é importante destacar que o volume de negócios sofreu forte redução nessas condições. Uma mudança desse perfil acontecerá quando as exportações retornarem a sua normalidade”, explicou.

Em São Paulo, capital, nesta quinta-feira (23/01), o preço da arroba fechou a R$ 191,00 à vista, contra 192,00 na quarta-feira (22/01). Em Minas Gerais, preços de R$ 185,00 a arroba, em Uberaba, contra R$ 186,00. Em Mato Grosso do Sul, preços caíram de R$ 178,00 para R$ 175,00 a arroba, em Dourados. Em Goiás, o preço indicado recuou de R$ 183,00 para R$ 182,00 a arroba em Goiânia. Já em Mato Grosso, o preço desvalorizou de R$ 174,00 para R$ 173,00 a arroba em Cuiabá.

Atacado

O mercado atacadista apresenta alguma acomodação em seus preços, no entanto, a tendência de curto prazo ainda aponta para alguma correção dos preços. “Nessas condições é natural que os frigoríficos sigam pressionando o mercado, avaliando a deterioração das receitas em um ambiente pautado pela forte queda dos preços da carne”, analisou.

Corte traseiro ainda é cotado a R$ 13,10. Corte dianteiro permanece precificado a R$ 10,70, por quilo. Ponta de agulha segue cotada a R$ 9,80, por quilo.