Queda da temperatura atrapalha deslocamento dos gafanhotos ao Brasil

Queda da temperatura atrapalha deslocamento dos gafanhotos ao Brasil

Nuvem de gafanhotos na Argentina: ainda longe do Brasil Senasa/ Foto Divulgação

Segundo a Argentina, a nuvem de gafanhotos que se aproximava do Brasil não se deslocou por longas distâncias; Ministério da Agricultura diz que praga não deve chegar ao território brasileiro

Por Francielle Bertolacini, de São Paulo – Canal Rural

O Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar (Senasa) da Argentina informou na noite desta quinta-feira, 26, que por conta da diminuição da temperatura, provocada pela chegada de uma frente fria, a nuvem de gafanhotos que se aproximava do Brasil não se deslocou por longas distâncias da província de Corrientes, no país vizinho.

“As equipes do Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa) e da província de Corriente continuam trabalhando para encontrar a localização da nuvem, pois, devido às baixas temperaturas, estimamos que ela não se moveu, pelo menos a grandes distâncias”, disse em comunicado.

O órgão argentino disse ainda que uma vez detectada a praga, o objetivo será realizar as ações de controle com um avião agrícola “A área em que trabalhamos é de difícil acesso, com poucas estradas. Nesse sentido, solicitamos aos produtores da área que entrem em contato com a Senasa se tiverem informações sobre a praga”.

Segundo o Ministério da Agricultura do Brasil, o monitoramento dos gafanhotos continua, mas a praga ainda não chegou ao país.

De acordo com os dados meteorológicos para a região Sul do Brasil, previstos para os próximos dias, é pouco provável – até o presente momento – que a nuvem avance em território nacional. Caso isso ocorra, será feito um monitoramento interno para o acompanhamento da evolução do evento.

Manual de controle dos gafanhotos

O governo brasileiro decretou estado de emergência fitossanitária no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina por conta da possível chegada da praga ao Brasil. De acordo com o chefe da divisão de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Jairo Carbonari, o status permite o estabelecimento de protocolos, manuais de procedimentos e autorização de uso de produtos, como agroquímicos, necessários para o controle da praga.

O ministério divulgou também um manual técnico com orientações sobre as ações de controle da praga adaptado às condições do Brasil. “Respaldado por dados científicos, com a devida capacitação dos agentes envolvidos num eventual surto da praga no país”.