Soja impulsiona as exportações

Navios carregados com parte da maior safra de soja já colhida no Rio Grande do Sul garantiram um salto de 33,2% no valor dos produtos exportados pelo Estado em abril na comparação com igual mês de 2012. Do valor total de US$ 1,7 bilhão vendido para o Exterior no período, a soja respondeu por US$ 391,14 milhões, representando quase um quarto do total (23%), demonstrando um dos efeitos multiplicadores da supersafra na economia gaúcha.

Impulsionado pela soja, o resultado de abril (divulgado ontem pela Fundação de Economia e Estatística (FEE) ) também levou o Rio Grande do Sul a reverter o resultado negativo da balança comercial registrado no primeiro trimestre. Conforme números já divulgados pela Federação das Indústrias do Estado (Fiergs), nos quatro meses iniciais do ano, as exportações gaúchas somam US$ 5,23 bilhões, enquanto as importações acumulam US$ 4,91 bilhões. Para o economista Antônio da Luz, da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), a soja (aliada a outros produtos do agronegócio como fumo e carnes) têm potencial de levar o Rio Grande do Sul a fechar o ano no azul.

“Tivemos uma safra de soja de 12 milhões de toneladas e, desse volume, cerca de 6 milhões de toneladas vão ser exportados em grão. E mais um pouco vai sair em forma de óleo e farelo” detalha o economista.

Para Luz, maio e junho também devem registrar grandes volumes de embarques de soja.

“A exportação é bem menos sazonal que a safra porque as cerealistas compram agora, quando é época de safra, mas depois vão vendendo ao longo do ano” explica.

Em abril, a indústria de transformação também teve crescimento nas exportações, com destaque para os aumentos de US$ 35,5 milhões em fumo e de US$ 29,8 milhões em derivados de petróleo. Assim, o Estado ocupou a quarta posição no ranking nacional, com participação de 8,39%.

Pelos números da FEE, nos primeiros quatro meses do ano, as exportações gaúchas acumularam US$ 5,6 bilhões. Em relação ao mesmo período do ano anterior, houve acréscimo de US$ 156,3 milhões. A variação do volume foi negativa (-0,5%), mas no país chegou a -1,4%. Os preços no Estado apresentaram evolução superior (3,5%) à média nacional (-2,9%).

Entre janeiro e abril, as exportações da indústria de transformação registraram queda de US$ 280,2 milhões (-6,4% em valor), enquanto a agropecuária cresceu em US$ 414,9 milhões (63,8% em valor).

Fonte: Zero Hora