Veterinários e zootecnistas do PR participam de 1º curso do CEM

O CEM (Centro Experimental de Manejo Racional), inaugurado no final do ano passado em uma fazenda no município de Guairaçá (PR), sediou nos dias 25 e 26 de janeiro o primeiro curso voltado para médicos veterinários e zootecnistas. Promovido em parceria com o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná, o curso teve a participação de 30 profissionais, que durante dois dias aprofundaram conceitos e práticas de bem-estar animal e manejo racional, conheceram o método de trabalho dos cursos de manejo para vaqueiros que serão oferecidos no CEM (na teoria e na prática, fazendo exercícios de observação e manejo no curral e com gado), e conversaram sobre o papel do técnico em levar essa prática para o campo.

A abertura do evento teve participação especial da médica veterinária, Dra. Andréia de Paula Vieira, integrante do projeto Awin – Animal Welfare Indicators (consórcio de pesquisas sobre bem-estar animal formado por instituições de diversos países), que falou sobre as demandas de bem-estar animal no Brasil e no mundo. Sua apresentação teve o apoio do filósofo Raymond Anthony, contratado pela Associação Americana de Medicina Veterinária para trabalhar o tema do bem-estar animal no que diz respeito à questão ética. Ele compartilhou com os participantes a visão que os EUA têm sobre bem-estar animal e como têm trabalhado o papel do técnico (médico veterinário e zootecnista) nesse cenário.

O evento contou, ainda, com a presença de um representante do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Alberto Neves Costa, presidente da Comissão de Bioética e Bem-estar Animal. “O bem-estar animal não pode mais ser visto como um cuidado extra para um nicho de mercado, como promessa de possível exigência comercial. É algo que vai impactar e mudar toda a cadeia de produção agora. A Organização Mundial de Saúde Animal – OIE estabeleceu o bem-estar animal como uma prioridade estratégica em seu planejamento e o Conselho Federal de Medicina Veterinária também”, afirmou Costa.

“O sucesso desse primeiro curso, que teve como público veterinários e zootecnistas, mostra a importância da criação de um centro de referência em formação tanto para técnicos quanto para o pessoal de campo na área de bem-estar animal e manejo. Quem frequentou o curso será certamente um multiplicador dos conceitos e práticas nas fazendas, ajudando a sensibilizar produtores e vaqueiros para a importância de se respeitar o bem-estar animal e os ganhos da implementação do manejo racional”, avaliou Felipe Pohl de Souza, do CRMV-PR. Para ele, a criação do CEM será de grande importância para ajudar as pesquisas a chegarem efetivamente ao campo, diminuindo a distância entre pesquisa e prática.

Fonte: Agrolink – Com Informações da Assessoria de Imprensa