Emergentes produzirão 79% da carne na década

O aumento da produção de carne nos próximos dez anos deverá ocorrer nos países em desenvolvimento, que serão responsáveis por 79% da produção adicional global de carnes bovina, suína, de frango e ovina no mundo. O crescimento ocorrerá principalmente para as carnes de aves e suínos, que se beneficiarão de ciclos de produção mais curtos e melhores conversões alimentares. A previsão é da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD) e da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Segundo as organizações, a próxima década será marcada por preços firmes para os alimentos (grãos), o que obrigará os sistemas que dependem deste insumo a serem mais eficientes. Para a bovinocultura, sistemas que exploram forragens terão seu uso ampliado, ao passo que os que utilizam grãos serão obrigatoriamente mais produtivos. O aumento no consumo de proteínas de origem animal ocorrerá de maneira generalizada, tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento. Destacam-se a Ásia e a América Latina, que serão responsáveis por 74% do crescimento mundial para a próxima década.

A OECD e a FAO apontam que o envelhecimento da população e a preocupação com danos causados pela produção de carne ao meio ambiente serão responsáveis pelo menor aumento do consumo nos países desenvolvidos. Por outro lado, a melhoria de renda e a urbanização serão pontos que levarão ao maior consumo nos emergentes, elevando o consumo médio mundial. Para a próxima década, a expectativa é de que o comércio internacional de carne cresça a uma taxa de 1,8% ao ano, frente a um crescimento de 2,9% na década passada.

Autor: DCI