Faes, CNA e Banco do Brasil preparam técnicos para oferecer financiamentos

Programa prevê crédito para adoção de práticas sustentáveis no campo

Cerca de 35 produtores rurais, técnicos e profissionais ligados ao setor agropecuário participaram de uma capacitação do Programa ABC – Agricultura de Baixo Carbono, promovida pela Faes – Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo e CNA – Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, em parceria com o Banco do Brasil, no dia 31 de janeiro. O objetivo foi prepará-los para elaboração de projetos de financiamento para implantação de práticas sustentáveis nas propriedades rurais com intuito de atender à demanda do Programa ABC, que oferece um teto de financiamento de até R$ 1 milhão por ano/safra aos produtores para adoção de tecnologias de produção sustentáveis para redução de gases de efeito estufa.

Os interessados em linhas de crédito devem apresentar um Projeto Técnico específico para área a ser contemplada pelo programa, conforme orientação de um profissional especializado. A proposta deve ter, obrigatoriamente, a identificação do imóvel e da área total. Também precisa constar no projeto o croqui descritivo e histórico de utilização da área a ser beneficiada.

O ABC é divido em sete projetos que juntos pretendem fazer com que o setor agropecuário seja responsável pela redução de 728,1 mil toneladas de emissão de gás carbônico no país. Para garantir o sucesso da meta, foi traçada uma série de ações que buscam reduzir o desmatamento, aumentar a produção de forma sustentável, regularizar propriedades mediante a legislação ambiental, ampliar área de florestas cultivadas e recuperar 15 milhões de hectares de pastagens degradadas.

Os recursos do Programa ABC podem ser solicitados por produtores rurais e cooperativas, inclusive para repasse a associados. Para contratar o financiamento e consultar a documentação necessária para a operação, o interessado pode procurar qualquer agência de banco credenciada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), na qual possui conta corrente. Os financiamentos são da ordem de elaboração de projetos, pagamento de serviços, construção, adubação, bem como aquisições de animais, plantas, equipamentos.

Fonte: Agrolink