Soja: Produtividade histórica

O município de Sorriso (460 quilômetros ao norte de Cuiabá), que há anos vem mantendo o título de líder mundial em área plantada de soja, está pronto para iniciar mais uma safra. Os produtores estão no ‘grid de largada’, prontos para começar a semear a oleaginosa. Eles só estão esperando o sinal verde do tempo, ou seja, o início das chuvas, para iniciar o plantio e contabilizar mais uma temporada de recordes de produtividade.

O presidente do Sindicato Rural, Elso Pozzobon, lembrou que na safra passada, quando o setor plantou a soja no período certo, sem muita antecipação ou atrasos, a produtividade teve o melhor registro da história e chegou a 62 sacas por hectare, em média.

Nunca tivemos uma produtividade como a do ano passado, foi muito boa”, salientou. “Foi um conjunto de fatores. As chuvas começaram em outubro, os índices de doenças, como a ferrugem asiática, por exemplo, foram bem pequenos e o clima ajudou muito”, relacionou os fatores que contribuíram para o sucesso da colheita que não teve muita relação com os investimentos em altas tecnologias, ou seja, uso intensivo de fertilizantes. “Tivemos a felicidade de plantar num calendário ideal”, completa. Historicamente, conforme o presidente, a média de colheita por safra é de 57 a 59 sacas por hectare na região.

Até o momento nenhum produtor começou o cultivo da safra 11/12, já que no campo as chuvas ainda não apareceram. “Só houve uma chuva, mas foi na cidade, no campo ainda não caiu nenhuma gota d’água e, enquanto não chover, não tem como começar”. Como observa, alguns produtores até queriam adiantar, pensando numa segunda safra de algodão ou milho de sucesso, mas também não plantaram, “pois não choveu nada e não quiseram arriscar”. De acordo com o sindicalista, as previsões indicavam que as primeiras precipitações começariam a partir do início desta semana, mas as novas verificações mostram que as chances estão mudando e só mesmo nos próximos dias é que as primeiras chuvas deverão ser registradas.

Apesar do atraso do período chuvoso, o presidente do sindicato não fala em atraso no plantio na região de Sorriso. Segundo Pozzobon, o período ideal para o início do cultivo é a partir de hoje, 1° de outubro. “Quando a gente planta no período certo, no caso da soja, e o clima ajuda, as chuvas vêm na quantidade certa e há uma boa produtividade. Não adianta querer adiantar muito ou tardar muito, pois a soja precisa do plantio certo para ter uma produtividade boa”, explicou, o que é chamado de ‘janela ideal’ da cultura. “Claro que não podemos condenar àqueles que antecipam o plantio, pois eles estão pensando numa segunda safra que também precisa de um pouco mais de chuva”, ressalta.

RETORNO – Os bons ventos na lavoura proporcionaram dias melhores para os produtores que, com uma colheita mais gorda e com os preços da oleaginosa em alta, fizeram com que muitos produtores colocassem suas dívidas em dia.

Não vamos dizer que estamos nadando em dinheiro, pois temos um passivo de dívida de anos para pagar, mas muitos puderam pagar um pouco de suas dívidas, sem capitalizar, comprar os insumos sem dever para essa safra, enfim, puderam tirar o pé da lama, como se diz”, comemorou. “Esperamos que esse ano seja como no ano passado e possamos ter uma boa safra”, aposta.

Este ano, o município deve plantar 600 mil hectares com soja, mesma área cultiva na safra 2010/2011. O plantio em época certa rendeu uma safra de mais de 2 milhões de toneladas de grãos.

Autor: Diário de Cuiabá