Workshop internacional debate pecuária sustentável

Evento conta com a participação de representantes de 12 países, além do Brasil

Com o objetivo de melhorar a utilização dos recursos naturais no setor da pecuária por meio de melhores práticas, teve início nestsa segunda-feira, 7 de maio, o Workshop Internacional sobre Sustentabilidade na Produção Animal em Pastagens. O evento – que está sendo realizado na Embrapa Sede, em Brasília, é uma iniciativa da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Pecuária (FAO) em parceria com o Mapa e apoio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Uma das metas do workshop é a adoção, pelo setor público e privado, de orientações e recomendações para tornar a cadeia pecuária mais sustentável no mundo. Segundo o secretário substituto de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo, Hélcio Botelho Campos, inciativas do ministério como o Programa Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC) incentivam o uso de técnicas para difundir a atividade agropecuária sustentável.

O programa estimula práticas como a integração lavoura-pecuária-floresta, que alterna pastagem com agricultura e floresta na mesma área. Devemos difundir ações como essas para garantir o desenvolvimento da produção pecuária para as próximas gerações”, afirmou Hélcio.

O Programa ABC oferece a produtores rurais e cooperativas o limite de financiamento de R$ 1 milhão e taxas de juros de 5,5% ao ano, com prazo de pagamento entre 5 e 15 anos. Neste ano, o governo federal vai oferecer R$ 3,15 bilhões em crédito para agricultores que utilizem as práticas financiadas pelo programa.

O evento vai até o dia 10 de maio e conta com a participação de representantes dos Estados Unidos, Alemanha, República de Gana, França, Reino Unido, República do Quênia, Nigéria, Uruguai, Chile, Itália, Argentina e Canadá.

Sobre a iniciativa

A proposta de uma agenda global para pecuária sustentável foi apresentada durante a reunião mundial do Comitê de Agricultura (COAG), realizada em 2010. O grupo de discussão é formado por Brasil, Etiópia, Índia, Nova Zelândia, Países Baixos, China e Estados Unidos.

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento